quarta-feira, 30 de setembro de 2015

O cão que guarda as estrelas - Por que devemos ter um cachorro?

Olá sábios e sábias! Tudo bem com vcs?

Acabei de ler o segundo volume do mangá “O cão que guarda as estrelas” e tenho que compartilhar ele com vcs! Que história mais linda, super tocante, fofa e que os amantes de cachorros vão se identificar bastante!



Acredito que no início o mangá “O cão que guarda as estrelas” era pra ser um volume único, a historia iria se desenvolver e acabar naquele mesmo mangá, mas acho que o Takashi Murakami não esperava que o cãozinho Happy fosse fazer tanto sucesso, e aí ele criou o outro com historias únicas, mas que estão muito ligadas ao primeiro!

Calma, vou explicar direitinho!

Vamos ao primeiro, “O cão que guarda as estrelas” tem essa capa linda com um campo cheio de girassóis e de um lado nós temos um carro abandonado e do outro um cachorrinho muito simpático, fofo e que parece estar sorrindo! O mangá tem 132 páginas de papel lux cream e orelhas nas capas. O escritor e desenhista se chama Takashi Murakami e a editora que lançou este mangá incrível é a JBC.


Eu li este no começo do ano, mas já fazia um tempinho que ele havia sido lançado!

O nome em japonês da historia é “Hoshi Mamoru Inu”, que é uma expressão usada para descrever uma pessoa que quer algo impossível, a origem vem da imagem do cachorro que fica olhando para o céu como se desejasse a estrela. Só pelo nome já podemos perceber que será um conto bem comovente.

A primeira historia mostra a família de Yoshio Maeda adotando um cachorrinho e colocando o nome dele de Happy, e é ele quem vai narrar o conto todo. No começo eles eram uma família até que feliz, mas com o passar do tempo as coisas foram ficando tristes e esquecidas, o único que ligava para Happy era o Yoshio, mas ele nunca se preocupou em manter uma boa relação com o restante da família, assim, a esposa e a filha o deixam sozinho. Yoshio decide então sair com Happy em uma espécie de aventura em direção ao sul, já que ele estava sozinho, envelhecendo, com uma doença crônica e sem muita condição financeira, ou seja, não tinha mais nada nem ninguém.



Pois é, esse manga até parece ser triste, mas é aquele tipo de tristeza linda!

Durante essa aventura eles encontram um menino de rua roubando uma loja, e Yoshio decide ajudá-lo dando comida e abrigo em seu carro por alguns dias, mas o menino foge levando a carteira dele, deixando-o praticamente na miséria.

Outros problemas vão surgindo e eles vão contornando a situação até não ter mais condições nenhuma de se moverem, decidindo estacionar o carro num parque com um campo de girassóis enorme. O tempo vai passando e eles vão sobrevivendo conforme dá, até que tudo tem um fim!



Essa primeira historia é a minha preferida, achei lindo o papel do Happy na vida de Yoshio, assim como o papel de muitos cachorros na vida dos seus donos. Qualquer um merece ser amado, mesmo sendo a pior pessoa do mundo (desde que não maltrate nenhum animal, nem pessoa), e só um ser tão maravilhoso quanto um cachorro consegue ver isso! Cachorros são sensacionais!

A segunda parte é sobre Okutsu, um assistente social que se sensibiliza com a historia de Yoshio e se dedica a procurar seus familiares. Mas o que mais tocou Okutsu foi Happy, que o fez lembrar de quando era criança e teve um cachorro, mas não deu nem um pouco de importância a ele.


Ele foi criado pelos avós, e quando sua avó morreu, seu avô decidiu dar um cachorro para ele, mas Okutsu não gostava dele, e até o maltratou algumas vezes. Até que um dia seu avô morreu também, e ele entendeu o porquê dele ter dado uma cachorro a ele.

Okutsu passa por toda uma reflexão da sua vida, lembrando do passado e repensando o futuro, mas a historia dele não tem um final definido, ele apenas concluí sua busca por mais informações de Yoshio.


Acho que vem mais historia por aí!

O segundo volume do mangá se chama “O outro cão que guarda as estrelas”, e esse no dia que ele saiu da caixa na livraria eu já comprei, sério, não tinham nem colocado nas prateleiras ainda!

A capa continua linda, mas dessa vez nos temos muitas arvores de cerejeira, uma caminhonete bem conservada de um lado e um cachorro super fofinho bem parecido com Happy do outro. O nome em japonês é “Zoku Hoshi Mamoru Inu” e também foi lançado pela editora JBC. Eles custaram em torno de 20,00 dinheiros cada um.

A primeira historia desse mangá é sobre o irmão do Happy, que estava na mesma caixa, mas ninguém queria adotá-lo porque ele estava muito doente. Até que uma senhora chamada Nagano passa pela caixa e fica com pena do cachorrinho morimbundo.
Ela se identificou pelo fato de ambos estarem sozinhos e próximos da morte, e resolve levá-lo para sua casa. Ela tenta cuidar do "Pequeno" cãozinho da melhor maneira que consegue, e ele apresenta alguma melhora, mas quando ela se dá conta disso, resolve abandoná-lo, porque ele não se parece mais com ela, ou seja, não esta mais no fim da vida.


Assim que a Sra. Nagano deixa o Pequeno cãozinho na caixa, ele sai correndo atrás dela e tem uma crise muito forte, isso faz com que ela repense algumas atitudes, e resolva ficar com ele e lutar pelo restante da sua vida. Mas como nem tudo na vida são flores, o Pequeno passa muito mal e tem de ser levado as pressas para um hospital veterinário, lá eles descobrem que ele tem uma mal formação no coração e não tem muito tempo de vida. E aí historia tem um desfecho impressionante!

Me identifiquei muito com essa historia, porque odeio envelhecer e de uma certa forma acho que serei como a Sra. Nagano quando ficar mais velha e nada como um cãozinho para amolecer nosso coração e tornar nossos dias mais leves e lindos! 


Quando eu tive depressão o que me ajudou demais a não desistir da vida foi a minha cachorrinha Ellie, e ela teve uma historia bem parecida com a de Happy e Pequeno, mas eu conto pra vcs em outro post!

A segunda historia do mangá vai contar sobre a vida Tetsuo Kawamura, um menininho que é abandonado pela mãe por longos períodos de tempo, ficando sozinho, com frio, fome e doente sem ninguém para ajuda-lo. Até que ele resolve procurar o avô que cuidou dele quando ele era bem pequenininho, mas o avô mora bem longe, em Hokkaido.


Durante essa aventura ele rouba para poder comer, e num desses furtos ele encontra o Yoshio Maeda, sim, ele é aquele menino de rua que aparece no primeiro mangá tentando furtar uma loja para poder comer e o Yoshio o ajuda por algum tempo, até que o menininho foge levando a carteira dele.


Tetsuo começa a viajar sentido Hokkaido, mas fica com medo de ser apanhado por alguns policiais e decide entrar em uma pet shop, e para disfarçar o fato dele estar andando sozinho no meio da noite ele rouba um cachorrinho. A historia desse cachorrinho é contada paralelamente a da Tetsuo, ele é da raça pug e fica num pet shop por quase 2 anos porque ninguém quer comprá-lo, estão quase sacrificando o probrezinho quando Tetsuo aparece e rouba ele.

Os dois saem para a aventura de ir até Hokkaido, passando por muitos problemas no meio do caminho! É muito legal como o autor consegue interligar todas as historias, no final o cachorrinho de Tetsuo se chamará Happy!


Como grande amante de animais que eu sou, adorei cada detalhe desses contos, que me fizeram pensar e relembrar muitas coisas! Fico impressionada como existem pessoas que não gostam de cachorros, é como não gostar de chocolate!

Esses mangás podem parecer historias tristes, mas não são! Eles são tão belos que possuem uma certa melancolia sim, mas nada que vai fazer vc chorar litros! Eu choro litros em historias que envolvem animais, e esses 2 foram bem tranquilos para mim! Eu enxerguei mais beleza do que tristeza neles! - Tá, talvez meu olho tenha enchido de lágrima algumas vezes! - hahaha


Se vc ama cachorros e gosta de mangás, recomendo fortemente a leitura desses dois, vale a pena cada centavinho gasto! É muito bom se emocionar com coisas lindas!!

Espero que vcs tenham gostado dos mangás e se caso vcs já tenham lido, comenta aqui em baixo e me conta o que vc achou!

Bjoo e boa viagem!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...